Ignorar as redes sociais pode custar caro

Contrariando a tendência da digitalização da comunicação e aproximação do público através das mídias sociais, o uso desse tipo de ferramenta não é unanimidade entre os empresários brasileiros. É o que aponta o levantamento realizado pela consultoria Maksen, que indica um índice de 40% dos executivos reticentes quanto aos benefícios da presença no Twitter, Facebook ou outras redes sociais. Segundo a pesquisa, a opinião desses executivos, de forma geral, é que o investimento não compensa os riscos gerados pela presença da empresa nas redes sociais. No entanto, analisando outros números revelados, não é difícil chegar à conclusão de que, em muitos casos, o problema está no uso equivocado das ferramentas. De acordo com os dados fornecidos pela consultoria, 42% das empresas tem páginas “estáticas” e outros 11% não atualizam com frequência as páginas nas redes sociais. Ou seja, a empresa mantém um perfil, mas não produz conteúdo ou interage com os clientes. Os maiores benefícios proporcionados pelas mídias sociais são o alcance das informações, serviços, produtos e marca da empresa, além do estreitamento da relação com o público. Abrir mão de um perfil ativo nas redes sociais é deixar de explorar um mercado que só tem a crescer. Manter um perfil que não seja atualizado e não proporcione possibilidade de interação com o público é ruim para a imagem da empresa, já que a falta de atividade pode ser considerada descaso. Por isso, para uma empresa que se preocupa com a satisfação dos clientes e com a imagem da marca no mercado, as redes sociais passam a ser indispensáveis.


Curtiu esse post? Você pode gostar desses também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *